07 abril 2015

#ContosDaJuju | Perguntas e respostas

Uma coisa é fato: Mãe (e pai) aprende... respondendo! 

Por aqui as perguntas estão cada vez mais reveladoras! Através dos questionamentos da Maria Ju, eu consigo perceber o que ela está vivendo na escola, com os amiguinhos, o conteúdo que está consumindo, os valores que já absorveu, o seu repertório se formando. 

Experimenta prestar atenção nas perguntas dos seus pequenos! São ricas e maravilhosas! Além de divertidíssimas, claro! 

Por isso separei aqui as minhas perguntas preferidas, aquelas que me mostraram com clareza como a vida aguça a curiosidade, o raciocínio e a vontade de aprender dos pequenos.

Pode rir, está permitido! ;P

Maria-curiosa! :D


1. "Mãe, o Gu não vai mais ser o meu pai?"

Essa eu ouvi quando contei que estava namorando, cerca de 2 anos depois da separação do pai dela. Como moramos em cidades diferentes, percebi o quanto ela ainda não tinha separado as relações. Expliquei.

"Claro que vai, filha! Seu pai vai ser sempre o seu pai! Isso não vai mudar nunca! Lembra que ele também tem uma namorada?"

"Hunrum"

"E eu deixei de ser sua mãe por isso?"

"Não!!" - com olhinhos arregalados de "caiu a ficha"

"Pronto, é a mesma coisa! Família é uma coisa que não muda nunca!"

Fácil, né? Agora segura essa:



2. "Mas por que ele é meu pai se ele não é mais seu namorado?"

Eu lembro dessa cena como hoje. Estávamos no supermercado, ela sentada no carrinho, #aos3, e eu, pálida, sem saber o que fazer. 

"Porque nós fizemos você juntos! Você não vai nascer de novo agora, vai?"

"Não!" - com carinha de "que boba você, mãe"

Sim, teve A pergunta depois disso!



3. "Mãe, e como vocês me fizeram?"

Pois é. A temida pergunta. No supermercado, às 9h da manhã. #OQueFazer?!

"Eu e seu pai éramos namorados. Então um dia ele pôs uma sementinha na minha barriga e você cresceu aqui dentro."

"Você engoliu a sementinha que ele te deu?"

"Hunrum" 

"Mãe, a sementinha era gostosa?"

"Não tinha gosto de nada, Ju. Mas olha... vamos comprar seu biscoito de chocolate?"

Não me julguem. Eu não estava preparada, foi o melhor que deu pra fazer. D=
Mas até acho que adaptei o papo da sementinha de um jeito não-traumático. Vamos ver até quando essa resposta vai ser suficiente pra ela. 



4. "Mãe, qual a diferença entre irmão de sangue e irmão de coração?"

Essa me pegou de jeito! A Ju tem uma "irmã de coração", enteada do pai dela. São super amigas, as duas juntas é uma festa! Mas agora ela vai ter uma meio-irmã também. O pai vai ser pai de novo. E com a novidade, veio a curiosidade, claro.

"Nenhuma, filha!"

"Tem certeza, mãe?"

"Olha, filha, a diferença é que o pai de sangue de uma irmã é o seu pai de sangue também e o da outra irmã, é outro pai de sangue. Mas isso muda o seu amor por elas?"

"Acho que não..."

"Exatamente. A diferença está no seu coração. Se você ama as suas duas irmãs do mesmo jeito, tanto faz se é de sangue ou de coração."

Há quem diga que isso é um absurdo! Que uma é irmã "de verdade" e a outra não. 
A esses, deixo a dica: Adotem um filho. Depois conversamos. ;)

Amor é amor. Você dá a quem e na quantidade que quiser.  :D




5.  "Mãe, tio Yuri​, conta aí, como vocês... assim... resolveram namorar?"

O_o - os dois com cara de #ComoFaz?

"Como assim, filha? Como a gente percebeu que se gostava?"

"É... como... você sabe... rolou um clima?"

Pausa pra gargalhada abafada pra não desmerecer a pergunta dela

"Ué, Ju, não é uma coisa que dá pra explicar... É uma coisa que a gente sente."

"Tá, tá, mas como foi que... vocês... você sabe... o clima?! "

"Como a gente resolveu ficar junto?"

"Éeeeee!!!!"

"A gente já era muito amigo, aí um dia a gente percebeu que se gostava. E foi isso."

"Ah tá... sei sei..." - cara de "Já entendi que vocês não vão me dar detalhes"

"Ju..."

"Oi mãe!"

"Por que você quer saber? Já rolou um clima com você?"

O___________O  cara de "fui pega no flagra!"

"Não, né mãe! É que... é que... eu fiquei curiosa, ah.. deixa pra lá!"

Risada geral e o assunto "morreu". Mas eu fiquei com a pulga atrás da orelha e prestando atenção nas reações dela.

Dias depois descobri que na novelinha que ela assiste "rolou um clima" entre dois personagens. 

Achei uma fofura ela trazer a situação da TV, com crianças, pro carinho que ela me vê ter com o meu namorado - estávamos no carro conversando apaixonadinhos quando ela fez a pergunta, lá do banco de trás - e ter juntado as duas coisas. 

A descoberta das crianças não é uma coisa linda? :D

2 comentários:

  1. Velho, bem legal isso aqui, parabéns! Ah... ela é uma fofura, já a conheci pessoalmente.

    ResponderExcluir
  2. HHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA me sinto na quinta-série com a resposta número 3. Criança coloca a gente em cada uma. Quando Miguel me perguntou disso acho que tinha 3 ou 4 anos, falei que como eu namorava a mãe dele e queríamos ter filho, ele nasceu. Claro que foi tudo sem planejar, mas ele não precisa saber, ainda hahahahahaha

    ResponderExcluir